Share |

Linha de Muito Alta Tensão: Bloco quer avaliação do impacto na saúde das populações

A candidatura do Bloco de Esquerda às eleições legislativas esteve, na tarde desta segunda-feira, em Barcelos, reunido com a comissão de luta contra a linha de muito alta tensão, que inclui autarcas e população das freguesias Perelhal, Vila Seca e Macieira de Rates.

José Maria Cardoso, cabeça de lista do Bloco pelo distrito de Braga, denuncia “um processo que desde o início foi realizado sem auscultação da população” e questiona o fundamento deste projeto. “Inicialmente, a proposta era ligar a rede a Espanha, para unir o mercado europeu da energia, no entanto, a linha já foi suspensa em Espanha, não se compreendendo a insistência em manter a linha em Portugal”, acrescenta.

O candidato realça a existência de “estudos da Organização Mundial de Saúde que indicam que há impacto na saúde das pessoas nos territórios onde instalações semelhantes se verificam”, pelo que propõe “a avaliação do impacto na saúde das populações antes de se proceder à construção e instalação destes postes de eletricidade”.

O bloquista afirma que “esta obra serve única e exclusivamente os interesses dos acionistas privados da REN, que passa pelo aumento da capacidade instalada das barragens em funcionamento no norte de Portugal”.

 

“Se a REN fosse uma empresa pública haveria empenho do Estado na salvaguarda do princípio da precaução e da proteção do bem estar e da saúde das populações”, conclui.

A comitiva bloquista esteve ainda, na parte da manhã, no concelho de Vieira do Minho em contacto com a população na feira semanal e com os trabalhadores do Call Center.