Share |

Hospital de Barcelos é prioridade do Bloco no Orçamento do Estado

O deputado do Bloco de Esquerda eleito pelo círculo eleitoral de Braga, José Maria Cardoso apresentou, na tarde desta sexta-feira, as propostas apresentadas pelo partido no âmbito da discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2020.

José Maia Cardoso começou por referir que a viabilização do documento através da abstenção se deveu, fundamentalmente, aumento de verbas para o Serviço Nacional de Saúde em 800M€, a redução em 20% das propinas no Ensino Superior e o aumento das pensões e as alterações no calculo do Complemento Solidário para Idosos.

No entanto, o bloquista destacou a necessidade de ir mais longe em várias matérias. Na saúde, propõe o reforço de 180M€ para a compra de equipamentos, 50M€ para a concretização do plano para a saúde mental, a eliminação das taxas moderadoras nos cuidados primários.

A construção do novo hospital de Barcelos e Esposende volta a discussão na Assembleia da República. José Maria Cardoso refere que a proposta apresentada incluiu a obrigação do Governo em fazer um relatório anual do andamento dos procedimentos para “evitar o que aconteceu em 2019 em que nada foi feito e nenhuma justificação foi apresentada”.

Confrontado com as declarações do Presidente da Câmara Municipal de Barcelos que afirmou ter reunido com a ARS-Norte e que este processo estava em andamento, o também deputado na Assembleia Municipal questionou se não seria uma questão de fé, uma vez que nenhuma informação sobre negociações e diálogo institucional foi dada a conhecer à comissão da AM para acompanhamento desta questão.

O deputado referiu também a necessidade de redução do IVA da energia para 6%, estando o partido disponível para o faseamento da medida ao longo dos próximos dois anos, o combate à corrupção através da eliminação dos Vistos GOLD, a aposta na habitação pública com o reforço do orçamento do IHRU em 150M€, e ainda o aumento das verbas para apoio à redução tarifária nos transportes públicos.

O dirigente bloquista disse ainda que o caminho da recuperação de rendimentos devia continuar e que para isso era fundamental o aumento das pensões e dos salários da Função Pública a cima da inflação, propondo ainda um complemento que compense os lesados do Mota-Soares, que sofreram cortes elevados na pensão durante o período da toika. Salientou ainda a proposta que prevê a reforma antecipada para os 55 anos para pessoas com deficiência, a revisão do rácio de calculo do número de funcionários nas escolas, a compensação para professores deslocados, o investimento numa rede pública de creches e o aumento dos apoios para a cultura.

O Orçamento de Estado será debatido na Assembleia da República na primeira semana do mês de Fevereiro, estando a votação final global agendada para o dia 6, quinta-feira. A decisão sobre o sentido de voto do Bloco de Esquerda será tomada em reunião da Mesa Nacional, que se realiza a 2 de Fevereiro.

AnexoTamanho
Proposta OE Novo Hospital Barcelos594.07 KB