Share |

Delegação do Bloco de Esquerda de Braga reúne com Câmara de Pontevedra cidade Gémea de Barcelos

Pedonalização das ruas e limitação de velocidade a 30km/hora, foram algumas das medidas implementadas desde que o Bloco Nacionalista Galego está no Governo. Manuel Carlos Silva, candidato pelo BE à Câmara Municipal de Barcelos, realça o facto de “para além da convivência no espaço público, deixaram de existir atropelamentos por acidentes de carro,  70% das deslocações ocorrem a pé ou em bicicleta, 80% das crianças e alunos vão a pé para a escola e podem circular e brincar no espaço público e a poluição diminuiu com redução de emissão de CO2 em 67%”.

Miguel Anxo Fernández Lores (Alcaide de Pontevedra) e Demetrio Gómez Xunquera (membro da Xunta de Goberno Local e conselheiro de Mobilidade) do Concello de Pontevedra, na Galiza, receberam na segunda feira, dia 12 de julho, uma delegação do Bloco de Esquerda do distrito de Braga.

Esta reunião teve como principal objetivo melhor conhecer as medidas que têm vindo a ser implementadas no Concello de Pontevedra nos últimos vinte anos.

O Bloco Nacionalista Galego (BNG) está no governo de Pontevedra desde 1999. Um dos principais objetivos dos seus mandatos tem sido “a melhoria da qualidade de vida das pessoas” tendo lutado para “recuperar a cidade”, tornando-a num espaço para os habitantes de Pontevedra, afirmou o Alcaide Miguel Anxo Fernández Lores.

Ao longo dos anos, o processo de transformação das ruas em vias pedonais fez com que “a cidade recuperasse a essência de local de encontro” e “as praças e as ruas foram-se tornando locais de lazer”. Entre os resultados positivos obtidos encontra-se “a melhoria da qualidade do ar, a redução de acidentes rodoviários não tendo sido registadas mortes no último ano”. Relativamente ao comércio, as vendas triplicaram, nos primeiros anos, nos locais pedonalizados.

Uma outra medida implementada passou pela redução da velocidade máxima de circulação para 30km/hora em todas as vias municipais. O estacionamento de viaturas à superfície está limitado a quinze minutos. Foram criadas alternativas de estacionamento subterrâneo (sendo o piso -3 reservado a moradores) e construídos parques de estacionamento nas zonas de acesso à cidade.

“Toda e qualquer mudança profunda tem sempre alguma resistência inicial no entanto, atualmente há muitas ruas onde passam carros cujos moradores e comerciantes querem que sejam pedonalizadas”, concluiu Miguel Anxo Fernández Lores.

Manuel Carlos Silva considera que “cabe perguntar aos responsáveis, primeiro do PSD e depois do PS: não é hora de aprender desta experiência? Que sentido tem o acordo de geminação, se não se passam à prática iniciativas de uma cidade gêmea como Pontevedra com valor reconhecido e vários prémios atribuídos a nível nacional e internacional a começar pela União Europeia?” assegurando que “pela parte do Bloco de Esquerda em Barcelos, esperamos ter a confiança dos barcelenses, tudo faremos para replicar esta inovação com  benefício param os barcelenses.”