Share |

Pedro Soares visita Barcelos para averiguar exploração mineira

O deputado do Bloco de Esquerda eleito pelo círculo eleitoral de Braga, Pedro Soares, reuniu com os presidentes da Junta de Freguesia de Vila Seca e Milhazes, no sentido de tomar conhecimento da exploração mineira de vários hectares de terreno em Barcelos (Gandra).

 

Desde logo, Pedro Soares, na visita realizada ao local onde decorrem as obras de extração do caulino, identificou o impacto ambiental daquela exploração. O deputado, que também é presidente da comissão parlamentar de ambiente, mostrou-se “chocado” com toda aquela situação. Para Pedro Soares, “o passivo ambiental aqui criado atravessará gerações, caso a empresa não repare as crateras criadas ao longo deste cinco anos”. Por isso Pedro Soares defende que “a reflorestação das zonas já exploradas deve acontecer de imediato”.

 

Os presidentes das JF de Vila Seca e Milhazes denunciam também o incumprimento do protocolo estabelecido entre a empresa Minas de Barqueiros, S.A. e as freguesias de Milhazes, Vila Seca, Direção Geral de Energia e Geologia e o Munícipio de Barcelos. Em causa está a construção de uma via de ligação entre a autoestrada e a exploração e contrapartidas financeiras garantidas às freguesias.

 

Apesar da ligação ter de ser financiada pela empresa, em 2011, a empresa alegou dificuldades financeiras e até ao momento não disponibilizou a verba para a construção do traçado. Os camiões utilizam as estradas já construídas, que passam perto da Escola Abel Varzim, apesar do protocolo indicar expressamente a proibição de circulação de veículos pesados junto á referida escola. A exploração, situada a 200m da escola, não está vedada, pelo que se apresenta como perigo iminente para os jovens que para ali podem circular.

 

A empresa comprometeu-se também a transferir anualmente 10.000,00€ para cada uma das duas juntas de freguesias. Os dois últimos anos encontram-se em dívida e a empresa não indica data prevista para estas transferências.

 

A insistência dos presidentes das juntas junto da empresa, para cumprimento do protocolo, e das entidades governamentais, para a fiscalização da atividade da empresa, é frequente. No entanto as respostas não chegam ou quando chegam não preveem fim para este impasse.

 

Pedro Soares afirma que “o Bloco de Esquerda apresentará uma iniciativa parlamentar, no sentido de conhecer a posição do Governo em relação a este assunto” e sugere ainda “a suspensão da atividade da empresa até que seja assegurado o cumprimento efetivo do protocolo”.