Share |

Concelhia do BE Barcelos reúne para analisar resultado das Presidênciais

A Comissão Política Concelhia do Bloco de Esquerda de Barcelos, reuniu para fazer a análise dos recentes resultados das eleições presidenciais no concelho de Barcelos, e destaca o excelente resultado da candidata do partido, Marisa Matias, que obteve o 3º lugar na quase totalidade das freguesias, bem como expressivas votações em várias delas, tais como: Arcozelo – 12,39%, Silva – 11,85, Cambeses – 11,79, S. Veríssimo – 10,69, União de Freguesias de Barcelos – 10,32%, Pousa – 10,27, União de freguesias de Bastuço S. João e Stº Estêvão – 10,17%.

Estes resultados expressam a implantação do Bloco de Esquerda no concelho, não só no espaço urbano, mas também no espaço rural, confirmando a confiança no partido, e no caso concreto desta eleição, na candidata Marisa Martins, que fez uma excelente campanha, próxima das pessoas, dos seus problemas e anseios, numa linguagem que todos entenderam, apresentando soluções.

Por outro lado, a vitória expressiva de Marcelo Rebelo de Sousa no concelho, em contraponto com a pálida imagem da oposição PSD/CDS, não deixa de ser em igual medida surpreendente e preocupante, e deve merecer da esquerda, a nível local e também nacional, uma reflexão cuidada, bem como a definição de linhas de actuação, que levem à derrota da direita em próximos actos eleitorais.

A Comissão Política Concelhia olha para o resultado da candidatura de Maria de Belém sem surpresa, tendo em conta a forma como surgiu e como desenvolveu a sua campanha, mas já relativamente a Edgar Silva, não deixa de ser surpreendente a queda a nível local, acompanhando a tendência nacional descendente da CDU.

O resultado da candidatura de Tino de Rans, expressa no nosso entender, não um voto de contestação ou repúdio, mas o reflexo de um país ainda inculto, televisivo e acrítico, no qual, diga-se de passagem, também bebe a candidatura de Marcelo Rebelo de Sousa, a vencedora destas eleições.

A finalizar, dizer que relativamente à composição das mesas eleitorais no concelho, o Bloco de Esquerda discorda da metodologia adoptada, pois as mesas foram na maioria dos casos formadas por gente ligada a um só partido, ou unicamente com membros de uma só família. A representatividade democrática não foi acautelada, e se não há nada a apontar em termos de legitimidade, em termos éticos e democráticos, o deficit nunca será compensado.

A Comissão Política Concelhia do Bloco de Esquerda, dirige também à família de António Oliveira Castro, presidente da União de Freguesias de Sequeade S. João e Stº Estêvão, recentemente falecido, o seu voto de pesar, e assinala a perda para o dirigismo político local, de um democrata e de um pluralista, com quem o Bloco de Esquerda sempre manteve relações de profunda cordialidade.