Share |

BE manifesta solidariedade com movimento popular contra linha de muito alta tensão

A Comissão Concelhia do BE Barcelos, sem tibiezas e tal como sempre declarou e agiu está frontalmente contra o projeto de linha de muito alta tensão pretendido pela REN. Esta autoestrada da energia não traz qualquer benefício para as populações. Não é uma obra pública, mas o desiderato de uma empresa privada para maximizar lucros.

Sendo Barcelos o concelho mais afetado pelo atravessamento do canal, tanto territorialmente como em número de fogos habitacionais, é premente criar resposta a este atentado no nosso concelho.Por isso, o BE, manifesta solidariedade política para com o movimento popular contra a instalação da linha de muito alta tensão, formado a partir de uma Comissão de Presidentes de Junta em legítima defesa das populações que representam e para o qual foram eleitos.  

Este movimento deverá ser plural e abrangente, aberto a todos quantos queiram participar nesta luta comum dado que está em causa o ambiente, a saúde pública, a economia local. Estão em causa as pessoas e a sua qualidade de vida. A contestação ao que consideramos danoso para o coletivo é um ato de cidadania e de solidariedade que não é propriedade exclusiva de ninguém. Juntar forças dá força à causa, combate a resignação e faz acreditar que a voz do povo é para ser ouvida.  

O deputado municipal e outros dirigentes locais do BE juntamente com população de várias freguesias do concelho, amanhã (terça-feira dia 4), deslocam-se à Assembleia da República para participarem numa audiência com a Comissão Parlamentar do Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação, e para assistirem à apresentação de um Projeto de Lei do BE sobre o impacto das linhas de alta e muito alta tensão.  

O BE congratula-se pelo facto da moção por si apresentada na reunião de AM da passada sexta-feira ter sido aprovada. Em resultado dessa votação a Comissão a formar-se, composta pelos legítimos representantes políticos dos barcelenses – Câmara Municipal, Assembleia Municipal e Juntas de Freguesia, assumirá a responsabilidade negocial e concertará as formas de luta adequadas ao impedimento do avanço da linha, prestando contas públicas da sua ação

Urge informar, sensibilizar e mobilizar todos os munícipes. Chegou a hora da população exaltar a contestação a este desditoso projeto que só os prejudica. Os barcelenses têm que saber afirmar a capacidade de luta pela defesa dos seus direitos. Assim se exerce a liberdade e se cumpre a democracia.